AVEIA

                                       AVEIA

A aveia pertence à família das gramíneas, caracterizadas pelo seu caule esguio que termina em pontas ramificadas, as quais contêm as flores, das quais se desenvolvem as sementes.

No caso da aveia, esta possui uma casca com forte adesão às sementes. A planta adapta-se melhor em climas frios e húmidos, sendo que os seus primeiros cultivos ocorreram no Norte da Europa e Ásia Central, onde era um alimento básico.

A estrutura do grão de aveia é semelhante à de outros cereais, possui três partes principais: pericarpo, endosperma e germe.

  • O pericarpo é um conjunto de camadas externas, que formam a “casca” propriamente dita do grão. Essa é a região mais rica em minerais (como cálcio, ferro e zinco), vitaminas do complexo B e também fibras.

  • O germe, corresponde à parte germinativa. Nesta é elevado o teor de lípidos, protegidos por tocoferóis, substâncias com propriedade antioxidante, da família da vitamina E.

  • A fonte de energia que o grão utiliza para germinar encontra-se no endosperma, na forma de amido. O endosperma também abriga a maior parte das proteínas do grão ainda que contenha também fibras.

Os diferentes tipos que encontramos à venda correspondem a diferentes etapas no processamento industrial do cereal. Os grãos passam por uma combinação de descascamento com trituração que torna possível separar do endosperma as camadas mais externas. Estas são ainda moídas, e assim é obtido o farelo de aveia. O grão descascado pode então passar por diferentes graus de flocagem e moagem, dos quais resultam a aveia em flocos grossos, flocos finos ou farinha de aveia, quanto mais intensos forem os processos citados.
A aveia está actualmente em evidência pelo alto poder benéfico da sua fibra solúvel, que a relaciona com o bom funcionamento intestinal, com a diminuição na absorção de colesterol total e colesterol-LDL (“mau” colesterol) e na manutenção de níveis adequados dos mesmos.
Existem estudos que comprovam que o consumo de aveia em diferentes quantidades está associado ao controle da glicemia (açúcar no sangue), manutenção e diminuição do colesterol sanguíneo, controlo da pressão arterial e regulação do trânsito intestinal, evitando a obstipação.

A fibra solúvel presente na aveia, β-glucana, é responsável por parte das suas vantagens.

  • As fibras solúveis retardam o esvaziamento gástrico, isto porque ao entrarem em contacto com a água, formam géis que tornam o bolo fecal maior e mais viscoso. Com isso, ocorre uma menor absorção de substâncias presentes neste bolo, como glicose e colesterol, devido a uma menor acção de enzimas digestivas.

  • Em relação ao seu poder hipocolesterolemiante, estudos sugerem que a acção da β-glucana na diminuição do colesterol no sangue esteja ligada à absorção de ácidos biliares. Estes são excretados pelas fezes, diminuindo a absorção de colesterol ou pelos ácidos gordos de cadeia curta, produzidos pela acção das fibras presentes no cólon que inibem a síntese de colesterol no fígado.

  • Sendo assim, o consumo regular de aveia pode estar relacionado com a diminuição da formação de placas de gorduras, que causam doenças cardiovasculares.

O tipo de aveia que possui maior quantidade de β-glucanas é o farelo de aveia, seguido dos flocos e farinha de aveia.

OUTRAS PROPRIEDADES: Antiacne, tem ação anti-inflamatória e bactericida e favorece a hidratação e a elasticidade da pele. Quanto consumir: 2 colheres (sopa) da versão em flocos ou farelo por dia, que somam 60 calorias. (COMO COM ALGUMA FRUTA OU COM LEITE DE SOJA, NO CAFÉ DA MANHÃ OU NO LANCHE DA TARDE)